• Mensagens de blog (6)
  • Agenda Cultural Beco dos Poetas Divulgue seu Evento Gratuitamente.
  • Projetos (2)
  • Fotos
  • Álbuns de Fotos
  • Vídeos

Fãs do trabalho de Paulo Pazz

  • André Anlub
  • Maria Jeremias dos Santos
  • Marcio Marcelo  Nasc. Sena

Presentes recebidos

Presente

Paulo Pazz ainda não recebeu nenhum presente

Dar um presente

 

Página de Paulo Pazz

Últimas atividades

Paulo Pazz e André Anlub agora são amigos
6 Ago, 2011
Paulo Pazz entrou no grupo de SAL MARINHO
Miniatura

Hai-cais

Hai-cai poema do Japão, (haiku). Tem :17 sílabas, três versos de 5, 7 e 5 sílabas. Referência à natureza, não humana. Refere-se a um só evento. Apresenta-o no presente e não no passado. Não tem título é numerado.Rima ou não!Ver mais...
6 Ago, 2011
Posts no blog por Paulo Pazz
19 Abr, 2009

Informações do Perfil

Blog de Paulo Pazz

Grafura

Postado em 19 abril 2009 às 21:18 0 Comentários

Uma moça no quadro da janela
Fita as pessoas que ali passavam,
Mas pelo nada que seu olhar fitava
A vida insossa passava por ela.

Cotovelo sob o queixo lasso,
Olhos vagueando pelas ruas,
Do romper do sol ao deitar da lua
Seguindo sempre este compasso.

A moça no quadro da janela:
Retângulo perdido no tempo
Que dia-a-dia paro e contemplo
Mais por costume, menos por ser bela!

Palavra Lavrada

Postado em 19 abril 2009 às 21:17 0 Comentários

Não vejo diferença alguma entre a espada e a cruz.
Ambas promovem a defesa e o ataque;
A libertação e o aprisionamento;
A ordem e o caos;
A paz e a guerra...
A vida e a morte.
Assim também percebo a palavra.
A diferença não reside na ferramenta e sim em quem a utiliza
E no porquê de ser lavrada

Incongruência

Postado em 19 abril 2009 às 21:12 0 Comentários

Amou-me tanto e por tanto tempo
Que até quando pensou ter me esquecido,
Depois de tanto termos nos dividido,
Julgou ser eu seu dividendo.

sopro marginal

Postado em 19 abril 2009 às 21:10 0 Comentários

Eu escrevo para salvar a minha alma,

Pois sou palavra como a montanha é grandeza.

Sou palavra como a água indomável na procela.

Sou palavra como o caminho que pode não dar em nada.

Sou palavra, sou signo concreto da abstração.

Sou mero acaso convertido em filigranas.

Sou palavra enquanto violador de folhas brancas.

Sou feito de sinais e sons.

Sou colo espinhoso onde a incógnita se espairece.

Sou algo único no mundo

E que nem por isso é diferente… Leia Mais

Como bolha de sabão

Postado em 2 novembro 2008 às 18:30 1 Comentar

Neste silêncio de vôo de bolhas sabão



-Segregado do verde talo de mamão- na boca do menino.



Neste silêncio frágil do vôo a esmo



Redondo na forma e de cor indefinida.



neste silêncio de vôo macio e lépido



Acima dos sorrisos e da algazarra,



Bailando nos olhos inocentes dos moleques.



Neste vôo mudo como as preces sussurradas



Incompletas e alheias de si e do próprio ridículo.



Neste vôo sobre o…
Leia Mais

Caixa de Recados (1 comentário)

Você precisa ser um membro de Beco dos Poetas : Rede Social Literária de Língua Portuguesa para adicionar comentários!

Entrar em Beco dos Poetas : Rede Social Literária de Língua Portuguesa

Às 17:19 em 30 outubro 2008, Marcio Marcelo Nasc. Sena disse...
seja bem vindo amigo !!!
 
 
 

Apoie nossos projetos

Se você aprecia esse trabalho e gostaria de ajudar a melhora-lo faça uma contribuição de qualquer valor toda nossa comunidade agradece em um só Voz.



Visite os Portais que mantemos gratuitamente:


Beco dos Poetas
Mapa da Poesia
Poetas Online
Livraria

 

 


image
image
image
image
image
image
image
image
image

Click na imagem visite as lojas e curta nossos títulos nas redes sociais através dos icones o Beco agradece a ajuda