Todas as postagens no blog marcadas com 'poesia' (715)

Soneto L2

Estou sentado sobre a mala da ilusão

Na noite escura aqui do lado de fora

O tempo ansioso se perdeu na hora

E desmantelado está o meu coração



O intento extraviou, perdi na penhora

Escalei o cerrado, foi útil à expurgação

Cansado passei a buscar inspiração

No segundo, no minuto, sem demora



Me vi deitado sob o céu e sua constelação

Devaneando nos sonhos que iam embora

E então a saudade fossilizou na contramão



Eram os erros… Leia Mais

Adicionado por Luciano Spagnol em 30 maio 2016 às 2:00 — Sem comentários

AMOR

Amor, agridoce razão
vai além
da sensação.
É ser: - meu bem!
ou não...
Também,
mocinho ou vilão
Mas ninguém vive sem
ou tampouco entende
Está sempre a catar quem
E sempre nos surpreende.

Luciano Spagnol
Maio, 2016
Cerrado goiano
Poeta mineiro do cerrado

Adicionado por Luciano Spagnol em 28 maio 2016 às 19:33 — Sem comentários

Versejo de amor

Não desdiga o meu afeto de predileção
Pois no meu amor só se tem um aclamo
E é singular a minha poesia ao coração
Cada rima, garbosa, só há um eu te amo
E na constância dos versos, una inspiração.

Luciano Spagnol
Final de maio, 2016
Cerrado goiano
Poeta mineiro do cerrado

Adicionado por Luciano Spagnol em 28 maio 2016 às 10:40 — Sem comentários

Naufrágio

Saudades ainda latentes

Versos sem as suas rimas

Palavras ainda presentes

Madrugadas sem estimas

Tantas vezes choradas

Na solidão das lágrimas

No leito ficaram caladas

Como uma flor sem néctar

E lábios sem boas risadas

Com acusações para julgar

E enganos como ciladas

Quando eu só queria amar

E assim, nos ais você partiu

Com a emoção sem pesar

Deixando o coração vazio

E o ponderar sem ofertar

Desmoronando em… Leia Mais

Adicionado por Luciano Spagnol em 27 maio 2016 às 14:06 — Sem comentários

Predestinado

Fechei os olhos na saudade

Vi sussurros na minha boca

Eram lágrimas de tal vontade

E palavras de sonoridade oca



Fiquei em silêncio e confuso:

era o amor que sussurrava,

a saudade no afeto ocluso,

ou minha alma que sonhava?



Enxuguei então está carência

De ti querer em tudo adivinhar

Dediquei versos em reverência

E desta saudade pude poetar



Pois o amor vive um no outro

E não em algum diverso lugar

Pode-se… Leia Mais

Adicionado por Luciano Spagnol em 27 maio 2016 às 11:37 — Sem comentários

Passa a passo

Eu vim passo a passo errando

Parei no cerrado, hoje solitário

Chão árido, místico templário

Me vi na sorte contemplando



Então pus asas no imaginário

Em vagidos ocos, murmurando

E como peregrino venerando

Em silêncio, orei neste sacrário



E assim o meu poetar ficou perdido

Entre sonhos aos sons estradivário

Devaneando em suspiros indefinido



Já fiz o que vim fazer, involuntário

Fui nobre reverência e saio provido

A… Leia Mais

Adicionado por Luciano Spagnol em 25 maio 2016 às 14:09 — Sem comentários

Soneto L1

Como no cerrado o torto é vestuário

Desenhando no vento árida textura

Rajando o céu em escarlate mistura

O coração na paixão tem imaginário



Eu, na solidão, de imperfeita bravura

Vejo a desdita germinar no itinerário

E o amor em tal solene rito arbitrário

Frustrado pela própria azeda ternura



Fico então no conforto do contrário

Do que no peito me anuncia a tortura

Implorando amor com um destinatário



Mais, que o viver possa… Leia Mais

Adicionado por Luciano Spagnol em 25 maio 2016 às 14:07 — Sem comentários

Epílogo

Eu desperto no cerrado em cada alvorada

Sem acaso no destino, alma esbaforida

A fé de uma confiança vaga, indefinida

O poetar de encontro numa encruzilhada



O tempo se fazendo em horas, estirada!

Dum vulto da estória na história recolhida

Em sobras de ir e vir, querendo despedida

E o fado se deslocando em outra jornada



Não vejo um ideal estampado na vida

Do avanço veloz e distante da passada

O fim do horizonte aumenta a… Leia Mais

Adicionado por Luciano Spagnol em 22 maio 2016 às 14:45 — Sem comentários

Chão cerrado

Seco ou molhado
Jatobás, Ipês, pequis
Plano ou enrugado
Quaresmeiras, buritis
Chão cascalhado
Mangabas, sucuris
Me vi besuntado...

Multíplice cerrado
Diversidade...
Vida diversa, virilidade

Luciano Spagnol
21/05/2016
Cerrado goiano

Adicionado por Luciano Spagnol em 21 maio 2016 às 3:13 — Sem comentários

Ponto final

Nas decepções não use reticências
Nas intercalações separe com vírgulas
Tenha parênteses nas ruins aparências
Pois a oração da vida depende de ser leal
Interrogando, exclamando, nas eloquências
Para que não se tenha dúvida no ponto final...

Luciano Spagnol
2016, maio, 09
Cerrado goiano
Poeta do cerrado

Adicionado por Luciano Spagnol em 19 maio 2016 às 23:15 — Sem comentários

Preciso

preciso
de um amor igual poema
que surpreenda
sem teorema
ou emenda

eu preciso de poesia
na paixão
sem o substantivo arrelia
das quizilas do coração

todos na mesma rima
no mesmo pensamento
palavras e enzima

redigindo momento
que narre segredos
desalinho,
inconfessáveis

e aprecie vinho

Luciano Spagnol
Maio de 2016
Cerrado goiano
Poeta mineiro do cerrado

Adicionado por Luciano Spagnol em 19 maio 2016 às 19:40 — Sem comentários

Quantidade

Na busca de ser vários
e vários serem poucos
poucos vários são raros
e muitos são loucos

sou um desses caros
nos cascalhados cavoucos
do tempo, cheio de reparos

tampouco,
serei dos solitários
ou sequer um mouco
no amor

sou operário
aos vários de poucos
de ser trovador

Luciano Spagnol
19 de maio, 2016
Cerrado goiano

Adicionado por Luciano Spagnol em 19 maio 2016 às 15:08 — Sem comentários

Poesia, força, encanto e magia

Poesia é emoção, vida e sentimento;

É o riso da criança, é o canto do vento.

Poesia é agradecimento no sorriso sem…

Leia Mais

Adicionado por mirna cavalcanti de albuquerque em 18 maio 2016 às 14:13 — Sem comentários

...

Eu na janela
além dela
o cerrado
cascalhado...
Não sei se fico
ou voo,
num pinote salvífico.

Luciano Spagnol
Maio, 016
Cerrado goiano

Adicionado por Luciano Spagnol em 15 maio 2016 às 12:24 — Sem comentários

...

Te encontro
na saudade

Tal maldade
desencontro

Cada reencontro
outra saudade...

Luciano Spagnol
Maio, 2016
poeta mineiro do cerrado

Adicionado por Luciano Spagnol em 15 maio 2016 às 12:23 — Sem comentários

Solidão presente

na esquina do cerrado
com a sequidão
me perdi calado
sem consolação
me tornei alado
na abstração
na poesia
na imaginação
da noite vazia...
virei um sobrevivente
me vesti de fantasia
a lua tornou-se confidente
enquanto rumino ousadia
de uma solidão presente

Luciano Spagnol
Maio, 2016
Cerrado goiano
poeta mineiro do cerrado

Adicionado por Luciano Spagnol em 15 maio 2016 às 12:18 — Sem comentários

Traição

Agora,
que a distância virou saudade
os amigos viraram outrora
e o cerrado extremidade
das bandas do meu poetar
a solidão tornou-se traição
na enzima
na inspiração
da trova sem estima
de uma rima menor...
Em opor,
pude encontrar na poesia
iguaria, suor, rubor
e companhia...

Luciano Spagnol
Maio, 2016
Cerrado goiano
Poeta mineiro do cerrado

Adicionado por Luciano Spagnol em 13 maio 2016 às 0:00 — Sem comentários

Poetar

Poetar, não é só escrever
é mais que sonhar
é mais que ser
é o poeta chorar
rir, olhar e viver...
É a extasia da rima certa
é o achado sem se ter...
Pois, a poesia não é do poeta
é de quem primeiro ler.

Luciano Spagnol
12 de maio, 2016
Cerrado goiano
Poeta mineiro do cerrado

Adicionado por Luciano Spagnol em 12 maio 2016 às 21:17 — Sem comentários

Eu, a poesia e o cerrado

Eu, a poesia e o cerrado



Com os cascalhos do cerrado

e as saudades em entrelinhas

eu alicercei o meu versado

em sulcadas poesias minhas



e no horizonte além

deixei os meus sonhos

junto ao entardecer, porém,

não foram olhares tristonhos



nem sei bem se eram fados

ou lamentos do árido viver

só sei que eram suspiros calados



mas nas trovas tinha querer

tinha poemas alados

tinha eu, tinha zelo, tinha… Leia Mais

Adicionado por Luciano Spagnol em 11 maio 2016 às 13:41 — Sem comentários

Poeminha

Quem já passou pelo amor
E nem se quer na dor doeu
Ou não amou, ou morreu
Pois amar é mais que o eu
É vida de encontros, valeu
E desencontros, aí perdeu
Então, seja nobre no amor
Pois o sofrimento é plebeu

Luciano Spagnol
Maio de 2016
Cerrado goiano
Poeta mineiro do cerrado

Adicionado por Luciano Spagnol em 9 maio 2016 às 21:21 — Sem comentários

Arquivos mensais

2016

2015

2014

2013

2012

2011

2010

2009

2008

2007

1999

0201

Vendedores Independente

Últimas atividades

Posts no blog por NELSON RICARDO
12 horas atrás
Posts no blog por Luciano Spagnol

Soneto da noite

Abeiro do barranco do anoitecerO breu do eclipse me escureceA vida lá fora na vozear emudeceA…Ver mais...
12 horas atrás
Posts no blog por Fabian Balbinot

www.pensamentopormimmesmo.com.br - Consciência política

Cada vez mais a consciência política soa para mim como um sinônimo para a inconsciência.Ver mais...
12 horas atrás
Posts no blog por Marluce Persil
ontem
Posts no blog por Fabian Balbinot
ontem
Posts no blog por Luciano Spagnol

Soneto L2

Estou sentado sobre a mala da ilusãoNa noite escura aqui do lado de foraO tempo ansioso se perdeu…Ver mais...
ontem
Posts no blog por NELSON RICARDO
ontem
Posts no blog por NELSON RICARDO
sábado

© 2016   Criado por Marcio Marcelo Nasc. Sena.   Ativado por

Credencial  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço