Por: Emerson Francisco


Não levanto um dedo para ti,
Mas protesto por sua beleza infundada.
Guiando através de senso e sons,
Olhando sem certeza.
Que beleza e magnitude,
Que compreensão com a fixação.
Sabe da insegurança do seu esmalte,
Do luxo dos seus gestos.
E do poder dos seus aromas,
Da lentidão dos seus passos.
Que cuidado com seus cabelos,
Que preocupação com seus dedos.
E inteligência em entender,
Quando assisti um romance,
Quando lê um suspense.
Sua vida é tão magistral,
E seu amor tão verdadeiro,
Que entender apaga a magia.


Exibições: 67

Comentar

Você precisa ser um membro de Beco dos Poetas para adicionar comentários!

Entrar em Beco dos Poetas

Apoie nossos projetos

Se você aprecia esse trabalho e gostaria de ajudar a melhora-lo faça uma contribuição de qualquer valor toda nossa comunidade agradece em um só Voz.



Visite os Portais que mantemos gratuitamente:


Beco dos Poetas
Mapa da Poesia
Poetas Online
Livraria

 

 

Poetas Online

Edmundo de Souza Pereira escreveu um novo post, CÉU DA BOCA

Miniatura  

 
Estou solteiro
Quero cheiro,
Quero abraço,
Quero beijo.
Doce, queijo,
Leite, mel!…
Quero céu;
Pode ser
Da tua boca!

Edmundo de Souza Pereira escreveu um novo post, DOR

Miniatura
A dor de morrer, talvez seja menor que a dor de amar!


image
image
image
image
image
image
image
image
image

Click na imagem visite as lojas e curta nossos títulos nas redes sociais através dos icones o Beco agradece a ajuda