Solidão que apodera,
e aos poucos vai tomando conta,
conta da gente...
Fazendo-nos sentir o cair dos tempos,
a tristeza vai penetrando,
em nossos corações.
E tudo passa.
A vida continua...
Só nós que estancamos,
com as ilusões,
presos aos tempos idos,
relembrando férias, viagens, encontros.
Relembrando venturas, torturas.
Devaneios toldam minha mente,
um turbilhão de idéias,
se acumulam,
vem os sonhos, as tristezas e as desilusões...


O tempo passa, continua passando.
Passando correndo,
vem o frio, o calor,
as flores renascem,
as folhas tombam...
E quando percebemos,
mais um ano se passou.
E nesse ano, nada fizemos.
Inicia outro, criamos coragem,
parece que queremos seguir em frente,
somente força de vontade...
Mas só a mente trabalha,
ação nenhuma,
e tudo volta, sempre igual,
NA MONOTONIA DA VIDA,
na expectativa de dias melhores.


LEINECY PEREIRA DORNELES-
PRAIA DO CASSINO-RIO GRANDE-RSUL.

Exibições: 1

Tags: monotonia., solidão, tristeza

Comentar

Você precisa ser um membro de Beco dos Poetas para adicionar comentários!

Entrar em Beco dos Poetas

Apoie nossos projetos

Se você aprecia esse trabalho e gostaria de ajudar a melhora-lo faça uma contribuição de qualquer valor toda nossa comunidade agradece em um só Voz.



Visite os Portais que mantemos gratuitamente:


Beco dos Poetas
Mapa da Poesia
Poetas Online
Livraria

 

 

Poetas Online

Edmundo de Souza Pereira escreveu um novo post, CÉU DA BOCA

Miniatura  

 
Estou solteiro
Quero cheiro,
Quero abraço,
Quero beijo.
Doce, queijo,
Leite, mel!…
Quero céu;
Pode ser
Da tua boca!

Edmundo de Souza Pereira escreveu um novo post, DOR

Miniatura
A dor de morrer, talvez seja menor que a dor de amar!


image
image
image
image
image
image
image
image
image

Click na imagem visite as lojas e curta nossos títulos nas redes sociais através dos icones o Beco agradece a ajuda