UM “TIPO” INESQUECÍVEL

Era um “tipo” todo diferente dos demais. Um homem de mais ou menos 1,70m de altura, ligeiramente gordo, moreno, com cabelos pretos já com algumas mechas esbranquiçadas. Tinha as têmporas e o Farto bigode agrisalhados. Aproximando-se, embora longinquamente da calvície, tinha duas profundas 1 entradas na testa. Seus olhos eram meigos e o nariz arredondado. Fumava aproximadamente trinta cigarros (onze letras, quase sempre) por dia. Era um beberrão inveterado ( de café, heim !).
Andava com trajes simples, porém de bons tecidos, que conhecia como ninguém.
Trazia as algibeiras sempre cheias de papéis. Até parecia a filial da Companhia Melhoramentos.
Na cinta portava uma caixinha para óculos de aumento, pois carecia deles para leitura. Falando em leitura, ele era pouco lido. Lia geralmente só, “os ossos da profissão”.
Era bancário de respeito e por esta ocupação fazia tudo o que podia. Daí a razão do pouco tempo que lhe sobrava, e que era preenchido quase que integralmente em seu pequeno sítio rural.
Possuia uma “ Vemaguet” e com ela caminhava para todo lugar, não andando quase a pé.
Era calmo e brincalhão: às vezes, saindo da rotina mostrava-se impaciente e nervoso.
Inteligente, tudo o que possuía era fruto de seu trabalho perseverante.
Admirava a beleza e a simplicidade das cousas.
Era Lea, honrado, sincero e tinha por lema a honestidade.
Gostava de conforto. Também lhe agradava a quietude e o ar campesino.
Apesar de meia idade tinha um espírito jovem e idealizador.
Este era o “Luiz Sênior”, era meu pai.

luiz carlos leme franco

Exibições: 3

Comentar

Você precisa ser um membro de Beco dos Poetas para adicionar comentários!

Entrar em Beco dos Poetas

Apoie nossos projetos

Se você aprecia esse trabalho e gostaria de ajudar a melhora-lo faça uma contribuição de qualquer valor toda nossa comunidade agradece em um só Voz.



Visite os Portais que mantemos gratuitamente:


Beco dos Poetas
Mapa da Poesia
Poetas Online
Livraria

 

 

Poetas Online

Edmundo de Souza Pereira escreveu um novo post, CÉU DA BOCA

Miniatura  

 
Estou solteiro
Quero cheiro,
Quero abraço,
Quero beijo.
Doce, queijo,
Leite, mel!…
Quero céu;
Pode ser
Da tua boca!

Edmundo de Souza Pereira escreveu um novo post, DOR

Miniatura
A dor de morrer, talvez seja menor que a dor de amar!


image
image
image
image
image
image
image
image
image

Click na imagem visite as lojas e curta nossos títulos nas redes sociais através dos icones o Beco agradece a ajuda